Como realizar o controle de inadimplência em um negócio?

6 minutos para ler

O descumprimento de obrigações financeiras é comum por Brasil e não por acaso — o país conta com mais de 60 milhões de devedores. Isso faz com que o controle de inadimplência se torne um ponto para prestar atenção na hora de gerir as empresas.

Mas, como evitar e resolver a falta de pagamento no seu negócio? Quais as melhores formas de ter um bom controle e como a tecnologia pode ajudar? Preparamos este artigo para refletirmos sobre o tema!

Por que contar com um controle da inadimplência?

Ainda que o não pagamento seja o primeiro problema que cruze à mente das pessoas ao falar de inadimplência, não é o único. As despesas judiciais, por exemplo, podem fazer parte do processo de cobrança.

As contas a pagar e a receber também fazem parte das métricas que são igualmente prejudicadas. Se reparar nos indicadores citados, talvez note um padrão. Todos fazem parte da saúde financeira do negócio e essa é a principal meta afetada.

Isso porque você passa a ter indicadores de lucro e faturamento pouco compatíveis com a realidade da empresa, tendo os valores distorcidos pela inadimplência. Caso o pagamento não aconteça, parte do investimento dos produtos ou serviços é desperdiçado.

Como realizar esse controle?

Se antes era comum pensar em controle de inadimplência como forma de prevenção, hoje é mais comum ver como uma prática necessária para a sobrevivência do negócio. Por isso, há algumas ideias que podem ser úteis, como as que você vai ver a seguir.

Faça análise de crédito

Uma das formas de evitar a inadimplência é prevendo os clientes que vão ter dificuldades para pagar. A análise de crédito é justamente a prática responsável por isso, usando critérios como dados de cadastro, histórico de compra e informações dos órgãos de proteção de crédito.

Se você usar os dados de forma correta, pode presumir risco de cada venda. Por fazer parte da política de boa parte das empresas, provavelmente é um procedimento com o qual os clientes já estão acostumados.

Aqui, vale identificar o comprador e solicitar informações residenciais, comprovação de renda e dados creditícios, usados em instituições como SPC e SERASA para revelar informações sobre seus hábitos de pagamento.

Elabore o histórico dos clientes

O histórico de clientes não traz benefícios apenas para o controle da inadimplência, como também ajuda na hora de padronizar o atendimento. Com as informações, você pode observar as práticas que mais deram certo e reunir em protocolos.

No caso da inadimplência, vale registrar acordos, justificativas, datas de retorno e por aí vai. Assim, você passa a ter condições melhores para negociação e os dados ainda ajudam a evitar cobranças em excesso.

E o que observar? Há uma regra no conhecida como os “5Cs”. Significa “caráter”, “capital”, “condição”, “capacidade” e “colateral”. Caso oferte crédito, o ideal é relacionar o limite à faixa de renda.

Faça o controle dos devedores

A primeira coisa que você deve ter em mente ao pensar em controle dos devedores é na taxa de inadimplência aceitável. Ainda que exista a máxima dos 5% definida pelo Sistema Financeiro Nacional, o ideal é analisar particularmente seu caso.

Você também pode enviar avisos antes da data de vencimento, podendo usar os e-mails ou pessoas do time comercial. O ponto forte é o fato de que a medida não é usada em tom de cobrança, gerando menos resistência.

Aqui, você pode usar recursos como planilhas que mostram valor da dívida (diferenciando vencido e não vencido), total e tempo de atraso. Vale manter atualizações semanais.

Negocie um plano de liquidação

Cobranças ainda são um assunto polêmico especialmente pelos casos em que isso é feito de forma indevida — fazendo com que o cuidado tenha uma importância especial. Procure entrar em contato com o cliente após 10 dias de atraso, propondo uma nova data.

E se o pagamento não puder ser feito de uma vez? Nesse caso, vale negociar um plano de liquidação, contando com a possibilidade de pensar sobre a aplicação de juros. Geralmente, as dívidas contam com algumas tentativas de negociação antes da judicialização.

Se, por fim, não acontecer o pagamento, você pode entrar em contato com seu advogado e pensar em medidas judiciais. O nome do devedor fica sujo e passa a fazer parte dos cadastros de proteção ao crédito (SPC/SERASA). A partir daí, as repercussões vão desde recusa em cartões de crédito até dificuldade para conseguir vagas de emprego.

Como o NotaOn poderá contribuir?

Boa parte dos pontos que citamos ligados ao controle da inadimplência também são problemas de organização financeira e gestão fiscal, os principais focos do NotaOn. Confira um pouco mais sobre como o software pode ser útil ao longo dos próximos tópicos.

Emissão de boletos

Seus clientes costumam argumentar que atrasam dívidas por problemas em um meio de pagamento específico? Não se preocupe. Entre as funcionalidades do NotaOn, está a emissão de boletos.

O modelo costuma ser vantajoso e conta com custos de cobrança menores se comparado com os oferecidos pelas operadoras de cartão. Ainda há a possibilidade de pessoas que ainda não fazem uso de contas bancárias realizarem o pagamento.

A emissão pelo NotaOn funciona de forma online. Isso significa que há a possibilidade de contar com um boleto independentemente de onde você esteja, desde que haja acesso à internet.

Dashboards

Sabe quando citamos a importância de fazer o controle dos devedores? Então, isso também passa por centralizar as informações e acessar dados mais facilmente. Os dashboards do NotaOn ajudam justamente a fazer essa tarefa, contando com gráficos e recursos visuais para facilitar ainda mais a visualização das informações.

Deixar de fazer o controle de inadimplência pode fazer com que sua empresa ultrapasse a taxa saudável de devedores e passe a ter prejuízo com as vendas. O texto mostra como, com alguma dose de organização, é possível contornar esse cenário.

Não se esqueça de que algumas práticas de contabilidade como registrar a abertura de caixa, fazer o lançamento das entradas e saídas, apurar todos os valores e registrar o fechamento também fazem diferença na hora de manter as finanças em dia.

E você? O que acha de começar a incrementar a gestão fiscal e a saúde financeira da sua marca? Então, não deixe de entrar em contato com a gente e conhecer o NotaOn, nossa solução completa!

Posts relacionados

Deixe um comentário